domingo, janeiro 7

Ode ao amor...

Ontem fui ver um filme que, entre os que estavam em exibição, me pareceu o menos mau. Uma comédia que fala de amor e do quanto nos podemos surpreender quando nos propomos esquecer um amor antigo. A reflexão é simples, nada de especial, não fosse o elenco o atractivo do filme: diaz, winslet, law e black; e este seria outro filme banal e lamechas que atravessou o oceano e invadiu a nossa península. Mas avante, a reflexão é mais profunda: a nossa vida deixou de ser um puzzle e assemelha-se mais à imagem criada por Nava quando fala de uma série de memórias que, ao desaparecerem, dão lugar a outras... Assim, a ausência não existe; ou, se existe, é disfarçada com um pensamento mágico.
Não me julgue o leitor sem ver o filme e sem saber se, ao vê-lo, se identificará com qualquer uma das personagens. Eu sou todas. E não me venham dizer que este filme não pode ser um retrato de um momento das nossas vidas. É de certeza.
Uma ode ao amor, transformada em comédia holywoodesca razoável, mas com excelentes actores. (Por certo, a Kate Winslet cresceu a ser mãe.)

2 Comments:

At segunda-feira, 08 janeiro, 2007, Blogger Gaja Boa 2 said...

Ai meu amigo...como está esse coração!!!
bjs

 
At segunda-feira, 26 março, 2007, Anonymous guida said...

não vi o filme. as comédias românticas já estão de tal forma generalizadas, quanto a mim, que é pouco vulgar que volte a entrar numa sala de cinema para ver uma. só em caso de desespero, ou seja, quando tenho que curar o meu vício cinematográfico com qualquer coisa nem que seja com a dita comédia romântica. no entanto também sou da opinião qu a kate winslet melhorou consideravelmente.


p.s. o meu esforço para colocar acentos ortográficos ao computador é absurdo.

 

Enviar um comentário

<< Home