quarta-feira, junho 29

o vento vinha do norte

O vento vinha do norte, não era só a copa das árvores, mas também as folhas, a água, o rio que corria mais forte que o anunciavam. Eram janelas que abriam e fechavam, a poeira dos caminhos, as pedras, e era a noite que chegava, e as estrelas cravadas no céu onde só as nuvens se moviam.


Una canción de amor...


Hay días que me levanto y,
aún salga el sol, mis ojos
solo ven la oscuridad.
Otros hay que puede llover,
levantarse el más fuerte viento
o tempestad y solo con
verte
hay una luz que renace

para tí

1 Comments:

At terça-feira, 31 janeiro, 2006, Anonymous Mário said...

Este é o meu preferido. Acho este texto autêntica poesia. Não me canso de o ler. Apenas acrescentaria um "se": janelas que se abriam e fechavam.

 

Enviar um comentário

<< Home